domingo, 24 de fevereiro de 2013

Andamos sobre as brasas e isto assim, vai arder!....



Desde há cerca de 3 ou 4 anos começaram a dar-se alterações profundas, e de nível global, em 10 dos principais factores que sustentam a sociedade actual.   Num processo rápido e radical, que resultará em algo novo, diferente e porventura traumático, com resultados visíveis dentro de 6 a 12 meses...   e que irá mudar as nossa  sociedade e a nossa forma de vida nos próximos 15 ou 25 anos!
Tal como ocorreu noutros períodos da história recente, no status político-industrial saído da Europa do pós-guerra, nas alterações induzidas pelo Vietname/ Woodstock/ Maio de 68 (além e aquém Atlântico), ou na crise do petróleo de 73.

Um rápido balanço da mudança e do que está a acontecer aos "10 factores":

1º- A Crise Financeira Mundial:    desde há 8 meses que o Sistema Financeiro Mundial está à beira do colapso (leia-se "bancarrota") e só se tem aguentado porque os 4 grandes Bancos Centrais mundiais - a FED, o BCE, o Banco do Japão e o Tesouro Britânico - têm injectado (eufemismo para: "emprestado virtualmente à taxa zero")  montantes astronómicos e inimagináveis no Sistema Bancário Mundial, sem o qual este já teria ruído como um castelo de cartas.   Ainda ninguém sabe o que virá, ou como irá acabar esta história!...

2º- A Crise do Petróleo:   Há mais de 6 meses que o petróleo entrou na espiral de preços.   Não há a mínima ideia/teoria de como irá terminar.   Duas coisas são porém claras:   primeiro, o petróleo jamais voltará aos níveis de 2007 (ou seja, a alta de preço é adquirida e definitiva, devido à visão estratégica da China e da Índia que o compram e amealham!)  e começarão rapidamente a fazer sentir-se os efeitos dos custos de energia, de transportes, de serviços.   Por exemplo, quem utiliza frequentemente o avião, assistiu há semanas, a uma subida no preço dos bilhetes de...  50%  (leu bem: cinquenta por cento).   É escusado referir as enormes implicações sociais deste factor:   basta lembrar que por exemplo toda a indústria de férias e turismo de massas para as classes médias (que, por exemplo, em Portugal ou Espanha representa 15% do PIB)  irá virtualmente desaparecer em 12 meses!   Acabaram as viagens de avião baratas  (...e as férias massivas!), a inflação controlada, etc...

3º- A Contracção da Mobilidade:   fortemente afectados pelos preços do petróleo, os transportes de mercadorias irão sofrer uma contracção profunda, e as trocas físicas comerciais que implicam transporte irão sofrer fortíssima retracção, com as óbvias consequências nas indústrias a montante e na interpenetração económica mundial.

4º-A Imigração:   a Europa absorveu nos últimos 4 anos cerca de 40 milhões de imigrantes, que buscam melhores condições de vida e formação, num movimento incessante e anacrónico (os imigrantes são precisos para fazer os trabalhos não rentáveis, mas mudam radicalmente a composição social de países-chave como a Alemanha, a Espanha, a Inglaterra ou a Itália).   Este movimento irá previsivelmente manter-se nos próximos 5 ou 6 anos!   A Europa terá em breve mais de 85 milhões de imigrantes que lutarão pelo poder e por melhor estatuto sócio-económico  (até agora, vivemos nós em ascensão e com direitos à custa das matérias-primas e da pobreza deles)!

5º A Destruição da Classe Média:   quem tem oportunidade de circular um pouco pela Europa apercebe-se que o movimento de destruição das classes médias (que julgávamos estar apenas a acontecer em Portugal e à custa deste governo) está de facto a "varrer" o Velho Continente!   Em Espanha, na Holanda, na Inglaterra ou mesmo em França os problemas das classes médias são comuns e, descontados alguns matizes e diferente gradação, as pessoas estão endividadas, a perder rendimentos, força social e capacidade de intervenção.

6º- A Europa Morreu:   embora ainda estejam a projectar o cerimonial do enterro, todos os Euro-Políticos perceberam que a Europa moribunda já não tem projecto, já não tem razão de ser, já não tem liderança e já não consegue definir quaisquer objectivos num "caldo" de 27 países com poucos ou nenhuns traços comuns!...   Já nenhum Cidadão Europeu acredita na "Europa", nem dela espera coisa importante para a sua vida ou o seu futuro!   O "Requiem" pela Europa e "seus valores" deu-se há dias na Irlanda!

7º-A China ao assalto!   A construção naval ao nível mundial comunicou aos interessados a incapacidade em satisfazer entregas de barcos nos próximos 2 anos, porque TODOS os estaleiros navais do Mundo têm TODA a sua capacidade de construção ocupada por encomendas de navios....  da China.   O gigante asiático vai agora "atacar" o coração da Indústria europeia e americana (até aqui foi just a joke...).   Foram apresentados, há dias, no mais importante Salão Automóvel mundial, os novos carros chineses.   Desenhados por notáveis gabinetes europeus e americanos, Giuggiaro e Pininfarina incluídos, os novos carros chineses são soberbos, réplicas perfeitas de BMWs e de Mercedes e vão chegar à Europa entre os 8.000 e os 19.000 euros!   E quando falamos de Indústria Automóvel ou Aeroespacial europeia...  estamos a falar de centenas de milhar de postos de trabalhos e do maior motor económico, financeiro e tecnológico da nossa sociedade.   À beira desta ameaça, a crise do têxtil foi uma brincadeira de crianças!   Os chineses estão estrategicamente em todos os cantos do mundo a escoar todo o tipo de produtos da China, que está a qualificá-los cada vez mais.

8º-A Crise do Edifício Social:   as sociedades ocidentais terminaram com o paradigma da sociedade baseada na célula familiar!   As pessoas já não se casam, as famílias tradicionais desfazem-se a um ritmo alucinante, as novas gerações não querem laços de projecto comum, os jovens não querem compromissos, dificultando a criação de um espírito de estratégias e actuação comum...

9º- O Ressurgir da Rússia/Índia:   para os menos atentos, a Rússia e a Índia estão a evoluir tecnológica, social e economicamente a uma velocidade estonteante!   Com fortes lideranças e ambições estratégicas, em 5 anos ultrapassarão a Alemanha!

10º-A Revolução Tecnológica:  nos últimos meses, o salto dado pela revolução tecnológica (incluindo a biotecnologia, a energia, as comunicações, a nano tecnologia e a integração tecnológica)  suplantou tudo o previsto e processou-se a um ritmo 9 vezes superior à média dos últimos 5 anos!
  Eis a Revolução!

Tal como numa conta de multiplicar, estes dez factores estão ligados por um sinal de "vezes" e, no fim, têm um sinal de "igual".   Mas o resultado é ainda desconhecido e imprevisível.   Uma coisa é certa:    as nossas vidas vão mudar radicalmente nos próximos 12 meses e as mudanças marcar-nos-ão (permanecerão) nos próximos 10 ou 20 anos, forçando-nos a ter carreiras profissionais instáveis, com muito menos promoções e apoios financeiros, e estilos de vida mais modestos, recreativos e ecológicos.

Com a devida vénia:tirado daqui José Martins)