domingo, 25 de agosto de 2013

Uma perda nacional! Acabo de ser tomado por uma tristeza infinita...



Fico sempre triste quando morre um homem do Goldman Sachs e recordo logo Simon Wiesenthal e a sua luta de aranha estendendo e esperando o nazi na teia antes que a natureza ou um acidente chegasse.
Estes também terão o seu tribunal de Nurembergue, a guerra lá chegará, e também um Simon que, implacável e metódico, os perseguirá até aos confins do Oriente.    Sem justiça a morte não é a mesma coisa.    António Borges não aguentou,   dommage.

antonio-borges-salarios


(João José CardosoAVENTAR - 25/08/2013)