sexta-feira, 8 de março de 2013

A merda é a mesma, a diferença está, como a cheiramos!


O “De” e o “Da”. da Merda nacional......
A má disposição nacional trouxe para o discurso público palavras que viviam sem abrigo. Sigo o tomar no cu do Francisco José Viegas no caso das facturas, para expressar a minha admiração pelos que conseguem distinguir um corrupto de merda, de um corrupto da merda.
O decisivo, para esses puristas da merda, é o De” e não o corrupto. Tudo está na preposição de e não no artigo, no caso, dois artigos: o A, da contracção da, e o corrupto – ele próprio. É evidente que, bem vistas as coisas, um corrupto de merda é diferente de um corrupto da merda. O De Merda, quer dizer que ele é Um Merdas. O Da Merda, quer dizer que ele trafica, vende, trata de Merda, que está, simplesmente, sujo de Merda.
Enfim e resumindo: com de, ou com da, vai tudo dar à mesma Merda, excepto se se tratar de um presidente de câmara, ou da câmara. Onde não há merdas, nem meias merdas, pode fazer sentado ou de cócoras!
Basta, para terminar que toda esta merda corre-nos no sangue desde o nascer até morrer....só que uns usam-na bem e aproveitam-na, e outros por falta de oportunidade, em usá-la...levam o tempo a dizer mal desta merda toda!....

E andamos nós a perder tempo com estas merdas !

Fonte desconhecida.......

E compilada por mim-----