sábado, 5 de novembro de 2011

A ministra da Agricultura Assunção Cristas, Inaugurou Lagar de azeite em Alvalade -Sado

Lagar do Carapetal tem uma capacidade de produção de 750 toneladas de azeitona por dia
A Ministra da Agricultura, Assunção Cristas inaugurou oficialmente recentemente o lagar da empresa INNOLIVA, no Monte do Carapetal, em Alvalade, no concelho de Santiago do Cacém.
O investimento corresponde a um investimento global de 7,5 milhões de euros, comparticipado em 2,1 milhões de euros por verbas do PRODER (Programa de Desenvolvimento Rural).
Trata-se de um investimento maioritariamente espanhol, da INNOLIVA, empresa presidida por Miguel Rico, que detém a maior exploração superintensiva de olival do mundo, com plantações em Espanha e Portugal, e que prevê a criação de um total de cerca de 170 postos de trabalho.
Na inauguração esteve o Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Vítor Proença, acompanhado do Vereador do Urbanismo, Álvaro Beijinha e do presidente da Junta de Freguesia de Alvalade, Rui Madeira.
Após a visita ao lagar, o autarca de Santiago do Cacém deu as boas vindas à ministra realçando que a autarquia “assim que teve conhecimento do projecto fez uma corrida para assegurar as necessidades da empresa que já tinha o seu cronómetro a funcionar”.
Miguel Rico explicou os motivos que levaram a INNOLIVA a investir no concelho de Santiago.
“Foram várias razões que nos levaram a investir na produção de azeite em Portugal: o território, o clima, a qualidade dos terrenos e a oferta proveniente da barragem do Alqueva”, reforçou o presidente do grupo.
Para a Ministra da Agricultura o novo lagar do Carapetal é um “exemplo de que a agricultura em Portugal tem grandes condições para o crescimento, e para os aumentos na exportação e no consumo nacional”.
O novo lagar do Carapetal, com uma exploração de cerca de 3.200 hectares de olival, em sebe gota a gota, tem uma capacidade de produção de
750 toneladas de azeitona por dia, cerca de 50.000 toneladas de azeitona por campanha.
Toda a produção se destina a exportação, principalmente para os mercados italiano e espanhol, mas que deverá ser alargada a novos mercados, como os Estados Unidos, o Brasil e a China. 





Tirado daqui