domingo, 28 de novembro de 2010

Ainda a aprovação do Orçamento Geral do Estado

Qualquer cidadão meramente atento ao espectáculo que é a politica ou o comportamento dos políticos neste País, chega à conclusão da medíocre influencia dos deputados na Assembleia da Republica.Primeiro o governo elaborou um documento com o nome de Orçamento Geral  do Estado para o ano de 2011. Depois toda a oposição criticou o documento, sem serem capazes (por incapacidade ou intencionalmente) de apontarem medidas concretas  que  penalizassem os verdadeiros culpados da situação a que chegou este País. Aqui alguma esquerda no caso concreto o Partido Comunista apontou  medidas..serve como exemplo penalizar-se mais a  banca com impostos e as empresas que abrem contas em paraísos fiscais (Offsohres). Mas havia  muito (ou há) onde se pode ir buscar muito dinheiro, que evitava a  penalização  dos que menos têm.Entre muitas aponto uma : o dinheiro orçado com a Assembleia da Republica, para este ano de 2010, foi de:...... 191  Milhões 405 mil  365 euros e 61 cêntimos...quem quiser consultar vá aqui .Podia-se poupar aqui muito dinheiro, bastava que o numero de deputados, baixa-se para o mínimo que prevê a Constituição Portuguesa...180 deputados. Como digo em cima, a influencia dos deputados pouco conta, como ficou demonstrado na discussão deste Orçamento para 2011. Quando foi discutido na especialidade e aprovação já estava tudo cozinhado antes, por meia dúzia de personalidades ...algumas provavelmente  até nem falam  Português ..... 
Entre as rectificações ao orçamento está uma que é digna de análise (ou não) é a que prevê algumas personas  ficarem  isentas de cortes salariais.....o objectivo desta medida é evitar a fuga de cérebros ..dizem!!Eu não leio assim ...e penso logo, na posição tomada pelos gestores da Caixa Geral de Depósitos antes desta medida ser tornada publica.Depois ocorre-me logo um palavrão inglês muito em voga agora em Portugal.....boys!....