sábado, 24 de dezembro de 2016

Como morreu Daniel Roxo

                                           Francisco Daniel Roxo

                                                      BIOGRAFIA 

Francisco Daniel Roxo,nasceu em Mogadouro (Portugal) a 1 de Fevereiro de 1933.
 Foi para Moçambique em 1951.Aprende a conhecer o território como ninguém,em especial o Niassa.Foi caçador profissional até 1962.Com a guerra,irá tornar-se,a partir de 1964,um lendário e temível comandante de um grupo de forças especiais de contra-guerrilha (30 homens da sua confiança),lutando contra a Frelimo,à margem das regras  da guerra convencional.Era conhecido como o Diabo Branco.
 Embora fizesse muitas operações com as forças do Exercito Português, eram sempre ele e os seus homens que executavam os golpes de mão, para eliminar as sentinelas nos aquartelamentos da Frelimo. Que tinham um medo terrível deste homem e do seu grupo.
Contava-se que qualquer dos seus homens ,onde pusesse os olhos punha a bala.

Daniel Roxo quando foi condecorado em Lourenço Marques
Embora não sendo Militar,recebe das autoridades Portuguesas 2 Cruzes de Guerra e uma medalha de Serviços Distintos pelos serviços prestados ao País
 Já depois do 25 de Abril, ainda fez parte de uma tentativa de golpe de maioria branca na então Lourenço Marques, ocupando a Rádio Moçambique.
Após a Independência de Moçambique,refugiou-se  na África do Sul, alistando-se no famoso Batalhão os Búfalos,com a patente de Sargento.
.

                                                  OPERAÇÃO SAVANA

A sua acção neste combate foi épica.A ele e a outros Portugueses se deve a grande vitória da ponte 14 em de 1975 no Rio Nhia em que milhares de Cubanos e Soldados do MPLA foram clamorosamente derrotados pelo Batalhão 32.Durante a batalha,  Portugueses deste Batalhão sofreram quatro mortos.Entre os Cubanos mortos figurava  o comandante da Força Expedicionária daquele País,o Comandante Raúl Diaz Arguelles,grande herói de Cuba.


                                                    A SUA MORTE 


Poucos meses depois Daniel Roxo,morria em Combate.Antes contudo tinha já recebido a maior das condecorações Sul-Africanas (equivalente à Portuguesa Torre e Espada).Só no primeiro abateu sózinho 11 inimigos a tiro.

Durante uma patrulha em 23 de Agosto de 1976, perto do Rio Okavango,o seu WOOLF,(veículo anti-minas,semi blindado)rebentou uma mina e  foi virado ao contrário,matando  um homem e esmagando Daniel Roxo.O resto da tripulação tentou levantar o veículo para o libertar mas era demasiado pesado.Breytenbach,antigo Comandante dos Búfalos  no seu livro "Eles Vivem Pela Espada" - "They Live by Sword" a páginas 105 escreveu:
 Danny Roxo,mantendo-se com o seu carácter intrépido,decidiu  tirar o melhor partido da situação,acendendo um cigarro e fumando-o calmamente até que este acabou,e então morreu esmagado debaixo do WolfEle não se tinha queixado uma única vez,não tinha dado um único gemido ou grito,apesar das dores de certeza serem enormes.


As Campas dos Portugueses mortos ao serviço da África do Sul

Assim morreu o Sargento Daniel  Roxo,um HOMEM que se tinha tornado numa lenda nas Forças de Segurança Portuguesa em Moçambique,e que rapidamente se tornou noutra lenda nas Forças Especiais Sul Africanas.
 


Recordo o comandante Roxo, com a sua pistola, no cinto  da sua cintura, nas ruas de Vila Cabral ou no café Planalto. Em Setembro do ano de 1967.
Eu tinha sido ferido com um tiro na cabeça na operação (Aquartelamento dos Macondes) no norte do Niassa, a 23 de Agosto de 1967, sendo evacuado para aquela localidade Já em  Agosto de 68 ,quando já estávamos no descanso para embarcar-mos para a Metrópole, fomos ainda mais uma vez chamados a  intervir na zona de Tenente Valadim.. na nossa escala por Vila Cabral ...fizemos uma pequena operação nos arredores dessa localidade , com elementos da  D G S e do Roxo...

José do Rosário  in B Caç.1891