sexta-feira, 26 de setembro de 2014

E as Hortas em Alvalade!

  
















Devido ás suas características, Alvalade deve ser no Alentejo Interior a terra onde à sua volta existem mais hortas. A minha terra que, em tempos se chamava Alvalade-Sado, tem uma riqueza imensurável que são os rios Sado e Campilhas.
As suas várzeas são de uma riqueza a que poucos dão o seu justo valor.Quer a população ou entidades publicas. A população devido a uma cultura tacanha de pouco interesse pelo que é nosso e até da parte de alguns,  alguma mal disfarçada vergonha, de serem Alentejanos. Dos poderes Públicos, um quase total desprezo por Alvalade.Às vezes dou por mim a pensar, o que seria esta região, nas mãos de alguns Povos. E voltando ás hortas,a maioria dos hortelãos são reformados. Quase todos fazem da horta um obi, em que a maioria dos produtos produzidos são para oferecer. Outros, muitos, ficam na terra sem serem consumidos.
Já se tem falado do mau aspecto que as barracas que existem nas hortas dão. Aqui a Autarquia poderia ajudar na feitura de pequenas instalações para os donos das hortas guardarem os seus utensílios. E digo-vos que não era nada de novo, já que aqui perto de nós há Autarquias que construíram e distribuíram pequenas instalações, para esse fim. Até na região de Lisboa(o que o arquitecto Ribeiro Teles há muito defende) algumas Autarquias, estão também a dinamizar junto das populações , a feitura de hortas em terrenos abandonados. Se calhar pode ser efeitos da crise.
De notar que a várzea na margem esquerda do rio Sado e onde diariamente passam centenas de pessoas de comboio, deveria ser mais alindada  no aspecto visual.

Mais atenção à ponte Romana e ás barracas lá existentes. Não era preciso grande investimento para mudar o aspecto daquela paisagem. Bastava cortar um ou dois concertos musicais em Santiago do Cacem e investir em barracas condignas para os hortelãos e alindamento na ponte que ás vezes é esquecida .