sábado, 14 de setembro de 2013

Como o Medo comanda o Mundo!...

Não se sabe se em outras civilizações, em outros períodos da história humana, as pessoas estiveram tão presas  ao medo, como nó estamos agora. Temos medo de tudo, o tempo todo.Não se pode fazer nada. É um gás paralisante o medo. Os medos que mais nos atormentam são:
O medo de perder o emprego ou a reforma, que são o pânico do nosso tempo, a insegurança no emprego, o medo de amanhã não termos o nosso posto de trabalho, na oficina  ou no escritório. O que faz com que muitos dos direitos sindicais que se obtiveram com dois séculos de lutas estejam agora em perigo de morte, porque ninguém tem coragem de fazer nada, por medo, por pânico de perder o trabalho que temos. 
Quem não tem medo de perder o emprego, tem depois medo de não poder encontrá-lo, que é um medo igual... e muitos outros medos:...o medo de viver, o medo de ser, o medo de mudar. o medo  dos fantasmas, que inventam para nos assustar. Os direitos democráticos vão morrendo. É o que vivemos na Europa hoje  que é uma terceiro-mundialização, em aceleração:os contratos colectivos de trabalho desaparecem,  o estatuto do trabalhador não tem valor, o trabalho e o homem se converteram numa mercadoria  qualquer. No local onde se encontre a mão de obra mais favorável, o capital vai usá-la. Acontece uma deslocalização permanente. O medo dessa deslocalização faz com que o trabalhador europeu, ou a trabalhadora vivem num medo permanente de perder o emprego. Na União Europeia que é a potência mais forte que o mundo conheceu, com 400 milhões de trabalhadores e consumidores de muito alto nível,nos seus agora 28 países, há hoje quase 20 milhões de desempregados e a caminhar-mos para os 25 milhões com cada vez menos hipóteses de encontrar emprego. Assim para não caírem na marginalidade quase todos os trabalhadores desde o Director ao homem das limpezas interiorizam o medo e se submetem, porque já não têm garantias sociais.

O trabalho hoje vale menos que o lixo, impunemente os empresários decidem quem há-de trabalhar, quem não trabalha e quanto se trabalha.  Trabalha-se cada vez mais, por menos salário e  mais horas.

Os direitos conquistados através de muitos sacrifícios ao longo dos tempos,como o direito à sindicalização são violados hoje com uma escandalosa impunidade. Os trabalhadores hoje já têm que mendigar trabalho.
No ano passado as 500 maiores multinacionais do mundo, controlaram 52% do produto Mundial Bruto, ou seja todas as riquezas e serviços produzidos no planeta. Um monopólio !Um poder como nunca tinha existido antes no mundo. Os homens que formam parte dessa oligarquia transcontinental actuam exclusivamente, segundo os princípios da maximização do lucro.Os donos das multinacionais são na realidade os senhores da guerra que estão numa batalha permanente para maximizar mais os benefícios e ainda mais a quota de mercado. Quem paga os gastos são os povos. O direito à Independência e à soberania é hoje um luxo do países ricos. E se os países pobres exercem esse patriotismo, ele logo se converte em populismo (segundo os mandões), ou pior ainda, em terrorismo, e uma ameaça , para o mundo.
Por detrás dos governos, está um poder invisível , representado pelo Banco Mundial, o FMI e a OMC, que são os Bombeiros Pirómanos no Mundo.....!
O FMI é dirigido por 5 países , só um,  tem direito de veto,o Banco Mundial é o mais democrático, é dirigido por 8 países. A OMC, é quem nos condena a ganhar cada vez menos e  pagar cada vez mais.

As palavras injustiça e miséria não consta no vocabulário, de quem hoje manda no mundo....os Banqueiros, as multinacionais e muitos políticos espalhados pelo mundo  são fantoches manobrados por estes!.....


Texto retirado da net e compilado por mim.....!