quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Foi aprovada reforma aos 50 anos com 9.000 euros por mês para os funcionários da UE

    


                                                                                                                                                                  Os políticos europeus, (onde se incluem os cá do burgo) têm  como objectivo é entrar na administração da UE! E por quê? Até eu queria
 Então leia, porque para eles crise é coisa que não existe.


Tudo bem, nada como  pensões de ouro dos altos funcionários da União Europeia (comissários, juízes, caixeiros ...) realmente não têm queixas. Nenhum plano de pensões da Função Pública, nos 27 Estados-Membros  é tão favorável. E por boas razões, um comissário europeu, um juiz, um advogado-geral do Tribunal de Justiça ... não pagam qualquer  taxa,em descontos para os sistemas de segurança. Ao contrário de qualquer funcionário nos países europeus que paga  10,90% do salário base. Então, quando eles entram em funções, estes senhores  podem chegar a até 70% do último melhor salário. No fundo, o secretário do Tribunal de chave pública 16.327 €. No topo, o presidente da ECA recebe € 23.405 e o do Tribunal de Justiça 26.651 €, e  sem os abonos de família e outros suplementos (por exemplo, mais de 2.000 euros por mês para 3 crianças!). para 70% do seu salário final para a aposentadoria, os altos funcionários da União não precisam descontar 40,5 anos, como no setor privado em França. Basta apenas 16 anos. A verdade exige que é raro  atingir esse limiar crítico, dada a duração do mandato, mas até mesmo uma passagem curta é vantajosa. Assim, Jacques Barrot, Vice-Presidente da Comissão responsável pelos transportes, depois de apenas cinco anos no cargo, terá direito, em Outubro, uma pensão de 4,728.20 euros. À partida poderá esperar  receber entre 300.000 e 500.000 € A verdade nos obriga a dizer novamente que estas pensões são combinados com os obtidos nos países de origem. E que, se começar antes da idade - 65 anos - os 129 privilegiados da União ficam com uma reforma confortável. Como o "subsídio de deslocação", sabendo que todos os custos (transporte, seguro ...) são, aliás, pagos pela UE. Acrescentam ainda um "subsídio de transição" por cada mês de serviço por 3 anos de actividade, com uma porcentagem do salário base de cerca de  (40% para menos de 2 anos, até 65% além de 15 anos). A restrição, no entanto:. Uma vez que o mandato é concluído, se os funcionários superiores da UE tiverem uma nova atividade, a remuneração não deve exceder,  a compensação de transição, o que vê em Bruxelas ou no Luxemburgo No total, combinando as duas afirmações, eles podem esperar receber entre 300.000 e 500.000 euros, o que não afeta a benefícios de pensão que vierem a receber. Nada mau para mais estes  bem pagos gestores (o presidente da Comissão Europeia José Manuel Barroso, com 29.504 €, ganha mais do que o presidente dos Estados Unidos) e, na maioria dos casos se retornar à sua administração na casa, retornando à política pantouflent ou em privado. Conclusão estas pensões são uma vergonha  "É uma vergonha, esta administração da UE.


Fonte Jornal le Point




Conclusão


É o jackpot sem jogarem no euro-milhões.


Com apenas 15 anos e meio ficam com uma boa pensão. Não há crise para esta gente.
 E aparecem todos os dias a incentivar-nos que é preciso fazer sacrifícios. Apetece dizer filhos da p.....