segunda-feira, 25 de julho de 2011

Nascidos no Estado Novo..1928-1974!..... E os que nasceram depois... como será.

As pessoas que nasceram, no tempo da outra senhora e ainda vivos vêem com muita apreensão o futuro de  Portugal . Principalmente as gerações dos anos 50 e 60. A geração nascida depois do 25 de Abril não dá valor à liberdade, para eles não foi um direito adquirido, foi-lhe oferecido e como tal, podem maltratarem-na as vezes que lhe apetecerem.... nasceram num tempo totalmente diferente, de nós .Como consequência espezinham  esses valores todos os dias. Não têm respeito por ninguém, pensam que a vida que eles começaram agora a percorrer que vai ser sempre de facilidades,  que os pais não vão morrer e que no tempo futuro eles não terão que labutar para sobreviver. Quando se levantam da cama todos os dias ,não têm que perguntar o que há para comer e se há alguma coisa, não conviveram com a fome. A maioria das pessoas que nasceram no tempo do Estado Novo (Salazarismo) fazia todos os dias essa pergunta e como resposta ouvia (e aqui na nossa região) muitas vezes.....come pão com boletas e se não houver vai roubá-las ao montado, mas não te deixes apanhar pelos guardas.Quem andava na escola até à 4.ª classe nas férias da Pascoa (15 dias) e nas férias grandes, os pais aproveitavam para os pôr a trabalhar naquilo que aparecesse. Um cabo da Guarda Republicana tinha mais poder aqui no Alentejo do que hoje tem o Presidente da Republica e eu exemplifico: por uma feira de Abril, por volta de 1954,.. alguns jovens em idade escolar, conseguiram roubar de uma barraca de vendas, umas bolas de borracha pequenas. Como resultado o comandante do posto da G N R na altura, mandou apresentar no posto todos os moços nessa idade... digo todos mas não foi assim, os filhos de alguns senhores, não foram chamados, mas também roubaram bolas.No posto cerca 30  rapazes, com idades entre os 8 e 11 anos,fechados numa sala e vigiados por um tenebroso G N R ao tempo, batiam com uma régua de madeira no seu amigo até se cansar e a seguir era o amigo que cheio de raiva lhe retribuía a dose. Cresceram fizeram-se homens e apanharam  3 frentes de guerra em África, onde milhares morreram e outros ficaram com deficiências para o resto da vida.Mas ao contrário de hoje, quem quisesse trabalhar tinha emprego. E a vida desta geração passou de um patamar muito mau, para outro quase bom. Vieram as reformas, não estávamos bem num emprego íamos para outro . Hoje os jovens estão (pensam) no bom, mas vão apanhar tempos muito difíceis..tão difíceis que nem vão ter tempo para se preocupar com futebóis e outros vícios que estão agora na moda. Muitos se não arrepiarem caminho, irão fazer parte dos milhares que já hoje dormem nas ruas das grandes cidades, a quem chamam ...os sem abrigo!...Só quem tiver formação adequada terá  hipóteses de sobreviver na sociedade que aí vem. Aqueles que fazem da escola uma maneira de passar o tempo, serão os candidatos à classificação de: Sem Abrigo no futuro.... os Subsídios e as Novas Oportunidades, esta ultima, onde podem adquirir  mais habilitações  literárias, (mas ficando a saber o mesmo, que sabiam) antes. O que é preciso é aumentar a estatística para enganar o observador estrangeiro. Mas tudo isto tem os dias contados!...