quarta-feira, 18 de maio de 2011

Imaginemos o mesmo cenário, com Dominique Srauss num hotel em Portugal





                    






   O caso de que é acusado um dos homens mais poderosos do mundo, de tentativa de violação de um mulher de trinta e dois anos num hotel na América. Se este caso tem acontecido num hotel  em Portugal , Mister Strauss estaria a fazer a sua vida normal, sem ser  beliscado.Na América paraíso do capital, o senhor Strauss, foi preso e está  dormir numa das mais célebres prisões da América, ao lado da pior escumalha de malfeitores.  E é aqui e em situações  semelhantes, que eu sinto vergonha de ver, como funciona este País na justiça e na generalidade dos órgãos administrativos  do poder, em Portugal. Um juiz  pode ser célere no julgamento de um pobre cidadão, que rapina qualquer coisa num super mercado, mas leva anos a julgar um  Oliveira  e Costa, que se apropriou de milhões de euros que eram de outros. Todos os casos mais mediáticos a correr nos tribunais portugueses a sensação que se tem é que nunca os acusados irão ser penalizados. O tempo passa, os processos transitam de um lado para o outro, até que prescrevem, sem  os culpados serem castigados. O crime de colarinho branco, como numa qualquer região de África ou América Latina, em Portugal também compensa!..... É por tudo isto e muito mais, que nós somos tão mal vistos no seio da  União Europeia, e que num tempo não muito distante acabaremos por ser  excluídos.