sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

B.V de Alvalade atravessam crise financeira















A atravessar uma das piores fases a nível financeiro, a nova comissão administrativa da Associação Humanitária dos B.V de Alvalade, vê-se a braços para garantir o vencimento dos cerca de 16 bombeiros assalariados. Os atrasos nos pagamentos dos serviços, nas deslocações e saídas das ambulâncias tem agravado a situação e Lénia Machado, presidente da comissão administrativa diz que a direcção está a fazer todos os esforços para garantir o normal funcionamento da corporação. O transporte de doentes para o HLA constitui a maior fatia dos serviços prestados pela corporação, além do serviço de hemodiálise e deslocações ao Hospital São Bernardo, em Setúbal. Para fazer face à actual situação, Lénia Machado apela à colaboração de toda a população em geral, e das freguesias de São Domingos, Alvalade e Ermidas, em particular. A Associação Humanitária dos B.V de Alvalade que assinalou, no passado mês de Novembro, o oitavo aniversário conta com 38 bombeiros.
Helga Nobre